(11) 4411-8252

(11) 96461-4885

Quênia e Tanzânia

______________________________________________

Olá amigos,

Peter Goldschmidt está embarcando em mais uma expedição. Agora vamos explorar Quênia e Tanzânia. Vamos conhecer os safáris  tribos e sua riquíssima cultura. Embarque conosco nessa viagem.

Destino: Quênia e Tanzânia
Início: 07/06/ 2011
Termino: 22/06/2011

Espero você aqui a partir de amanhã.

Peter Goldschmidt

* Acompanhe também a viagem pelo facebook.com/goldtripviagens

______________________________________________

 

 

Voltando à África 07 de Junho de 2011

South Africa
South Africa

Para minha alegria e felicidade, estamos de volta à África! Ai, que saudades eu estava deste continente. Depois de nossa primeira experiência nos países da África austral, agora nosso destino é a África oriental. Vamos visitar em 14 dias o Quênia e a Tanzânia.  Nestes dois países vamos visitar alguns dos parques nacionais mais importantes da África como Massai Mara, Hgorongoro e Serengeti. Nosso plano é fazer vários safáris e tentar ver a famosa migração dos Gnus que acontece entre os dois países. Você pode nos acompanhar nesta aventura, visitando sempre nosso blog. Vamos viajar? Então até breve!

Peter Goldschmidt – Família Goldschmidt
Peter é membro da Família Goldschmidt e diretor-consultor de turismo da agência Gold Trip. GoldTrip.com.br // www.familiagold.com.br

* Fotos: Família Goldschmidt e André Pereira
** Este diário refere-se a viagem da  Família Goldschmidt  a África do Sul em Setembro de 2010.

[nggallery id=132]

_______________________________________________________________________________________________________

QUÊNIA – Um país jovem e bonito 08 de Junho de 2011

Quênia
Quênia

Tanto quanto eu, o Quênia é jovem e bonito. OK, só o Quênia tem as duas qualidades, eu fico só com o “jovem”! (rsrsrsrs).  Foi apenas em 1963, ano do meu nascimento, que ele conseguiu sua liberdade da colonização Britânica e se tornou uma República Democrática.  Hoje é um dos países mais importantes da África, com economia estável e uma grande porta aberta para o turismo. Entramos por esta porta e pousamos em Nairóbi, a maior cidade e capital do país. Nairóbi, com seu mais de quatro milhões de habitantes, é o coração político e financeiro do Quênia. A cidade é grande e oferece alguns atrativos turísticos. Desde a capital pode-se fazer safáris de um dia no Parque Nacional de Nairóbi, como também visitar programas de reintrodução de animais na natureza onde se pode alimentar girafas e elefantes. Visitei o Girafe Center e pude aprender muito sobre estes animais. Próximo a cidade há também uma fazenda de crocodilos.

Tiramos poucas fotos da cidade, pois existe uma lei que proíbe, entre outras coisas: Fotografar o presidente e sua comitiva, policiais em serviço, prédios do governo e a bandeira nacional. E importante mencionar que para fotografar qualquer pessoa é necessário pedir autorização, especialmente os da tribo Massai. A boa noticia é que NÃO é proibido filmar e fotografar as lindas paisagens e as centenas de espécies de animais selvagens que se espalham por seus parques nacionais.
Nosso programa pretende visitar primeiro o Quênia e depois a Tanzânia.
No Quênia, vamos conhecer a reserva Massai Mara, o lago Nakuru e o parque nacional Amboseli, onde teremos uma linda vista do monte Kilimanjaro, o mais alto da África, com 5891metros.  Mas esta história eu conto amanhã.
Tutaonana!
(até logo em Kisuahili, o idioma local)

Peter Goldschmidt – Família Goldschmidt
Peter é membro da Família Goldschmidt e diretor-consultor de turismo da agência Gold Trip. GoldTrip.com.br // www.familiagold.com.br

* Fotos: Família Goldschmidt e André Pereira
** Este diário refere-se a viagem da  Família Goldschmidt  ao Quênia em Junho 2011.

[nggallery id=133]

 

_______________________________________________________________________________________________________

 

QUÊNIA – Reserva Maasai Mara 09 de Junho de 2011

Reserva Maasai Mara
Reserva Maasai Mara

Jambo e Sopa!
Estas foram as duas palavras que mais escutamos em nossa viagem até agora. Ambas querem dizer a mesma coisa: “Olá!”, A primeira em Kisuahili e a segunda em Maasai.

Chegamos agora na Reserva Maasai Mara, a mais importante do Quênia, santuário para milhões de animais e terra natal da tribo Maasai. Há duas maneiras de chegar a esta reserva desde Nairobi: Voando em pequenos bimotores em uma viagem de 40 minutos ou via terrestre em um percurso de até 5 horas. Optamos pela segunda, pois queríamos conhecer a paisagem, as vilas, enfim, entender melhor o país.

Em nossa viagem visitamos vários lodges e acampamentos para saber qual a melhor maneira de se hospedar por aqui. Os lodges oferecem cabanas completas e os camps tendas. Mas não confunda estas tendas com as barracas usadas nos campings do Brasil. Na África a coisas são diferentes. E para melhor! As tendas são de luxo, enormes, com 30 ou 40 mts2 e todo o conforto de um apartamento de hotel. Têm camas king size, mobiliário completo, banheiro com banheira, luz elétrica, água quente, enfim tudo o que precisa para uma boa e confortável estadia e integração total com a natureza. Afinal, dormindo em uma tenda você pode ouvir os pássaros e animais que circulam pela mata ao redor. É uma experiência fantástica.

Seja qual for a maneira escolhida para chegar aqui ou para se hospedar, posso afirmar que a reserva Maasai Mara foi para mim uma experiência espetacular. Vimos várias espécies de animais em quantidades de tirar o fôlego. Esta é a principal diferença entre as reservas daqui e da  África do Sul: a quantidade.  O parque é todo coberto por suaves colinas forradas por uma savana baixa.  Enxerga-se longe e por isto é mais fácil encontrar as manadas. Além disto, o Maasai Mara é o local de migração de milhões (isto mesmo, milhões) de guns, zebras, além da gazela de Thompson. Durante todo o ano eles fazem um percurso circular entre este parque e o Serengueti, na Tanzânia. No inicio de Agosto eles cruzam o rio Mara e permanecem no Maasai Mara até Outubro. Esta travessia do rio é um dos pontos altos da migração e atrai milhares de turistas. Todo o parque se transforma em um paraíso para fotógrafos e amantes da natureza. Mesmo em outras épocas do ano, podemos ver grandes manadas, além de muitos javalis, girafas, elefantes, búfalos e outros animais. Mas este grande desfile de animais não faz somente a alegria dos turistas. Junto com as manadas, chegam também os grandes predadores como os Leões, os Leopardos, os Guepardos e as hienas. Eles vêm atrás da comida farta e fácil. Por isto, a Reserva Maasai Mara é o melhor lugar para observações de carnívoros em ação.  Em apenas um dia  vimos um grupo de 20 leões descansado, dois machos caçando e uma grande família de leões se banqueteando com uma zebra. Incrível! Com certeza é um dos melhores lugares do mundo para se observar a natureza em seu clico natural. Veja as fotos abaixo. Quem sabe você não se anima para vir pra cá. Para isto, basta procurar a Gold Trip

Peter Goldschmidt – Família Goldschmidt

Peter é membro da Família Goldschmidt e diretor-consultor de turismo da agência Gold Trip. GoldTrip.com.br // www.familiagold.com.br

* Fotos: Família Goldschmidt e André Pereira
** Este diário refere-se a viagem da  Família Goldschmidt  ao Quênia em Junho 2011.

[nggallery id=134]

 

_______________________________________________________________________________________________________

QUÊNIA – Visitando os Maasai 10 de Junho de 2011

Maasai
Maasai

Os Maasai são uma etnia da África oriental que vivem hoje divididos entre o Quênia e a Tanzânia. Segundo o ultimo censo são cerca de quatro milhões de indivíduos, muitos deles ainda vivendo como seus antepassados, em tribos nômades. Os Maasai são pastores, guerreiros e caçadores, vivendo há centenas de anos em perfeita harmonia com a natureza. Vivem em aldeias circulares que formam um grande curral. Eles amam seu gado e o recolhem todas as noites no centro da aldeia. Os animais recém-nascidos tem um tratamento especial, passam a noite junto com seus donos, dentro de casa. Os Maasais constroem casas pequenas, baixas, com estrutura de madeira e recobertas do material que lhes é mais comum, estrume de gado. Junto com o estrume, eles misturam uma planta que repele as formigas e cupins. Vivem na aldeia por 3 a 4 anos e então, abandonam tudo e se mudam para outras pastagens. São muitos altos e esguios, orgulhosos de sua cultura e aparência. Eles se vestem de roupas bem coloridas e possuem colares e pulseiras feitos de miçangas.  Sempre estão armados com uma lança, uma faca de dois gumes e uma clava de madeira.  São caçadores habilidosos, mas respeitam os animais selvagens e não os utilizam em sua alimentação. Até pouco tempo atrás, para um jovem Maasai ser considerado adulto e poder casar teria  que antes matar um leão. Com o numero de Maasais crescendo e os de leões diminuindo, o governo do Quênia proibiu a caça, não só de leões, como de todo animal selvagem. Sua alimentação é baseada na carne de cabras, leite de vacas e sangue de boi (que misturam ao leite). Outro orgulho dos Maasai é sua música e dança. Eles dizem que homem que salta mais alto durante a dança consegue as melhores namoradas. Em uma de nossas visitas fizemos um safári a pé guiado por um guerreiro Maasai. Ele nos mostrou como reconhecer as pegadas de animais,  como observa-los sem sermos notados e explicou como usam as plantas para curar doenças, produzir armas e até melhorar sua higiene. Visitar e conhecer o povo Maasai foi uma experiência fascinante e imprescindível para quem visita esta região. Amanhã tem mais…

Peter Goldschmidt – Família Goldschmidt
Peter é membro da Família Goldschmidt e diretor-consultor de turismo da agência Gold Trip. GoldTrip.com.br // www.familiagold.com.br

* Fotos: Família Goldschmidt e André Pereira
** Este diário refere-se a viagem da  Família Goldschmidt  ao Quênia em Junho 2011.

[nggallery id=137]

______________________________________________________________________________________________________

 

QUÊNIA – Parque Nacional Amboseli 13 de Junho de 2011

Parque Nacional Amboseli
Parque Nacional Amboseli

O ponto mais alto da África é o monte Kilimanjaro, que fica na Tanzânia. Com uma altitude de 5 891 metros, é a montanha isolada mais alta do mundo. Um monumento da natureza. Por mais estranho que possa parecer, o melhor lugar para observá-lo não está na Tanzânia, mas no sul do Quênia. É o Parque Nacional Amboseli, localizado a cerca de 200 quilômetros da capital, Nairóbi.
Só ver o monte Kilimanjaro já seria razão suficiente para vir até aqui, porém as atrações desse parque não param por aí! Somamos à incrível vista milhares de animais selvagens passeando pelas planícies do parque, o que torna o passeio inesquecível. O parque não é grande, mas impressiona pelas paisagens e pela abundância de vida animal. Em nossa curta passagem vimos muitos elefantes, alguns com presas enormes. Segundo me disseram, aqui estão os elefantes com as maiores presas da África. Ficamos frente a frente com uma grande manada onde dois jovens machos testavam suas habilidade brigando entre si. Foi um espetáculo incrível. Também acompanhamos duas hienas que vierem em nossa direção. Uma delas passou bem ao lado do nosso carro. Tudo muito seguro. Os animais não veem os carros de safári como um ameaça e não distinguem os humanos dentro deles. Para os animais, o carro e as pessoas são uma coisa só. O conjunto carro mais pessoas forma um ser maior que eles e, portanto digno de respeito. Mas não foi só isto. Durante nossa curta estada vimos muitos outros animais como babuínos, girafas, zebras, gazelas e búfalos que passeavam tranquilos à nossa frente. Estamos curtindo muito todos os parques nacionais do Quênia. Todos são diferentes em fauna e flora. Não dá pra cansar. Amanhã vamos atravessar a fronteira para a Tanzânia e conhecer o Parque Nacional do lago Manyara. Mas isto é outra história. Tutaonana!

Peter Goldschmidt – Família Goldschmidt
Peter é membro da Família Goldschmidt e diretor-consultor de turismo da agência Gold Trip. GoldTrip.com.br // www.familiagold.com.br

* Fotos: Família Goldschmidt e André Pereira
** Este diário refere-se a viagem da  Família Goldschmidt  ao Quênia em Junho 2011.

[nggallery id=138]

 


______________________________________________________________________________________________________

Quênia – Lago Nakuru 15 de Junho de 2011

Lago Nakuru
Lago Nakuru

Antes de deixar o Quênia, quero falar sobre um lugar que visitamos no começo desta viagem. O Parque Nacional do Lago Nakuru. Localizado a apenas 2 horas e meia de Nairóbi, pode ser visitado em apenas um dia. É um parque muito especial, pois mistura savana com selva tropical, facilitando assim a observação dos animais. Nele podemos encontrar as duas espécies de rinocerontes (branco e negro), além de búfalos, javalis, antílopes, zebras e todos os grandes felinos. Aqui, encontramos os famosos leões que dormem sobre as árvores. Eles fazem isto para fugir dos insetos que os atormentam no meio da vegetação rasteira. O lago é lindo e repleto de pássaros. Em alguns lugares as águas estão totalmente tomadas por milhares de pelicanos, cormoranes, cegonhas e flamingos. Os flamingos são tantos que o lago parece ter sido pintado de cor-de-rosa. Observá-los voar, pousar disputarem um espaço ao sol é fantástico.
O melhor lugar para ser observar a região e o lago é do Baboon Cliff (penhasco dos babuínos). Os primatas que batizam o lugar estão por toda a parte, sempre prontos a roubar um pouco de comida dos visitantes. Cuidado com eles! Apesar da aparência amistosa, são animais selvagens e merecem respeito. Não se aproxime muito. Esta é uma regra importante que vale para todos os animais e para todos os safáris que fizer. Não se deixe enganar pela carinha simpática de um filhote de leão ou pela placidez de um búfalo ou uma zebra. Todos são animais selvagens e seguem seus instintos de defesa e autopreservação. São imprevisíveis e por isto, perigosos. Fique sempre no interior do veiculo e os observe com respeito e silêncio. Desta maneira você fará safári super seguro e aproveitará o melhor da África. Tchau!

Peter Goldschmidt – Família Goldschmidt
Peter é membro da Família Goldschmidt e diretor-consultor de turismo da agência Gold Trip. GoldTrip.com.br // www.familiagold.com.br

* Fotos: Família Goldschmidt e André Pereira
** Este diário refere-se a viagem da  Família Goldschmidt  ao Quênia em Junho 2011.

[nggallery id=139]



________________________________________________________________________________________________________

Tanzânia – Lago Manyara 16 de Junho de 2011

Lago Manyara
Lago Manyara

Karibu!  Seja bem- vindo!

Entramos na Tanzânia pela fronteira em Namanga e seguimos direto para a cidade de Arusha, a maior da região, onde almoçamos. Depois, seguimos por mais 90 minutos até o Lago Manyara, um parque nacional com 320 quilômetros quadrados de extensão. O lago é repleto de flamingos, mas não dá para chegar perto. Podemos vê-los de longe, tingindo as águas com suas plumas cor-de-rosa. O parque tem uma região de campo aberto, onde observamos antílopes, girafas, búfalos e muitas aves. Os babuínos estão em toda parte, inclusive nas estradas, sempre procurando comida. Cuidado com eles! Outra parte do parque é coberta por florestas, com árvores bem grandes, lar de várias manadas de elefantes. Vimos muitos filhotes. Procuramos durante um bom tempo os felinos do parque. Eles não são muitos, mas são especiais. Assim como no lago Nakuru no Quênia, os leões daqui tem o costume de dormir sobre as árvores. Infelizmente não tivemos sorte. Mas isto acontece. Afinal, os caçadores sempre chamaram os animais selvagens (a caça) de “Game”, que em inglês quer dizer “jogo”. Uma alusão a sorte que se precisar ter para encontrar os animais na selva. Um bom safári sempre depende de estar no lugar certo, na hora certa. Chegar cinco minutos antes ou depois faz toda a diferença. Mas já que estamos falando de safáris, deixe-me fazer outro comentário. Um safári nunca é igual ao outro. Mesmo que você veja os mesmos animais. Já fiz vários e posso dizer que cada um teve a sua singularidade. Os animais não são e não se comportam de forma igual. Cada dia é uma aventura diferente, uma surpresa, uma descoberta. Meu conselho é o seguinte: Se quer observar a natureza e conhecê-la de perto, quanto mais safáris melhor.

Grande abraço!

Peter Goldschmidt – Família Goldschmidt
Peter é membro da Família Goldschmidt e diretor-consultor de turismo da agência Gold Trip. GoldTrip.com.br // www.familiagold.com.br

* Fotos: Família Goldschmidt e André Pereira
** Este diário refere-se a viagem da  Família Goldschmidt  ao Quênia em Junho 2011.

 

[nggallery id=140]



______________________________________________________________________________________________________

Tanzânia – Cratera de Ngorongoro 16 de Junho de 2011

Cratera de Ngorongoro
Cratera de Ngorongoro

Jambo! Olá!
Chegamos ao que talvez seja o mais importante atrativo turístico da Tanzânia. Ngorongoro é a cratera de um vulcão extinto, localizada próxima ao Parque de Serengeti, no norte do país.  Tem um diâmetro de quase 20 quilômetros e está a 2.300 metros de altitude. Pertence a uma área de conservação e não possui nenhum assentamento humano no seu interior. Ngorongoro é um nome de origem Maasai e se refere ao chocalho carregado no pescoço por suas vacas. Há vários hotéis na região, todos construídos nas bordas da cratera. A depressão contém quatro ecossistemas diferentes e abriga dezenas de espécies. São cerca de 25 mil animais, grande parte deles mamíferos. É uma verdadeira arca de Noé. A cratera é também a maior concentração de felinos de toda África. Em Ngorogoro é possível encontrar os Big Five, os animais consagrados pelos antigos caçadores com os mais ferozes e corajosos. São eles: O leão, o leopardo, o hipopótamo, o búfalo e o rinoceronte.

Só a chegada à cratera já é um espetáculo digno de nota. Imagine olhar para dentro de um vulcão extinto e ver no seu interior campos coberto de relva, florestas, pântanos, rios e até um lago de sal. Tudo criando uma paisagem única e surreal. Fizemos um safári e vimos dezenas de animais com javalis, hipopótamos, avestruzes, antílopes, zebras e búfalos. No entanto, o nosso objetivo era ver os felinos e concentramos toda a nossa atenção em procurá-los. O primeiro que avistamos foi um grande leão caminhando perto de algumas zebras. Não parecia muito interessado nelas. Logo depois, vimos um jovem macho, dormindo na beira da estrada. Encontramos também duas famílias de hienas e um guepardo procurando uma oportunidade de caça. O ponto alto do safári chegou quando encontramos um grupo de cinco jovens leoas. Elas se aproximaram dos carros e se deitaram em sua sombra.  Ficaram ali vários minutos para o deleite de nossas câmeras. Depois, sem se importar com nossa presença,  elas seguiram pela estrada caminhando ao lado do nosso carro. Fiquei durante 15 minutos filmando a menos de um metro delas. Fiz lindas imagens e pude admirá-las com cuidado. Mas não era o fim. Logo elas avistaram um grupo de búfalos e começaram o ritual da caça. Entraram na relva alta, caminharam abaixadas até próximo da manada e… Atacaram. Houve muita correria e poeira. Os Búfalos lutaram bravamente investindo contra as atacantes. Elas tentavam separá-los para ter melhor chance, mas não conseguiram. Afinal, o Búfalo é um oponente que pode pesar até 800 quilos e tem chifres bem afiados. No final, as leoas cansadas deitaram na relva para recuperar as força e deixaram os búfalos se afastarem. Fiquei feliz pelos búfalos, triste pelas leoas e satisfeito com as filmagens. Foi um dia incrível e emocionante. Tenho certeza que a cratera de Ngorongoro é o melhor lugar da África para ver os felinos em ação. Se pudesse ficava mais um dia, mas tenho que partir amanhã. Então, já tenho uma boa razão para voltar.

Peter Goldschmidt – Família Goldschmidt
Peter é membro da Família Goldschmidt e diretor-consultor de turismo da agência Gold Trip. GoldTrip.com.br // www.familiagold.com.br

* Fotos: Família Goldschmidt e André Pereira
** Este diário refere-se a viagem da  Família Goldschmidt  ao Quênia em Junho 2011.

 

[nggallery id=141]


______________________________________________________________________________________________________

Tanzânia – Serengeti 20 de Junho de 2011

Serengeti
Serengeti

Hakuna Matata!

Chegamos ao mais conhecido parque nacional da Tanzânia e talvez de toda a África, é o Parque Nacional Serengeti. Ele está localizado no norte do país e é gigantesco, com mais de 30 mil quilômetros quadrados e abrigando mais de 70 espécies de mamíferos. A viagem até ele pode ser feita de avião, desde Arusha, ou de carro. Esta segunda opção é bem cansativa, pois boa parte das estradas é de terra. São cinco horas desde o lago Manyara ou três desde Ngorongoro. Mesmo para se fazer os safáris dentro do parque anda-se muito, pois os animais se concentrar em diferentes zonas durante diferentes épocas do ano. O Serengeti ficou famoso por abrigar um dos mais impressionantes fenômenos da vida selvagem, a Migração Circular dos Gnus. Durante todo o ano, cerca de dois milhões de Gnus, acompanhados de zebras e Gazelas de Thompson percorrem as diversas áreas do parque em busca de água e pasto fresco. O movimento se faz em gigantescas manadas que se movem criando um espetáculo grandioso.  São poucos os lugares do mundo onde se podem observar tantos animais juntos. O ponto alto desta jornada acontece no final de Julho, quando as manadas atravessam os rio Mara em direção ao Quênia. Imagine milhares de animais saltando nas águas de um rio repleto de crocodilos e hipopótamos, lutando contra a correnteza e os predadores para chegar à outra margem. Milhares de pessoas de todas as partes do mundo vêm assistir a este espetáculo. Mesmo fora desta época, observar a grande migração no Quênia ou na Tanzânia é impressionante.

Por causa da migração o Serengeti é conhecido com um excelente lugar para observar os grandes felinos com o leão, o leopardo e o guepardo. Com tanta comida caminhando pelo parque, é lógico que os predadores vão se aproveitar. Não é difícil presenciar um momento de caça ou de alimentação. Mas há muitos outros animais para se ver no Serengeti. Além dos felinos, podemos observar girafas, javalis, elefantes, antílopes, chacais, avestruzes e muito mais. Mas é preciso ter paciência e rodar muito pelas estradas empoeiradas. Mas o preço vale a pena. Uma visita imperdível é a piscina de hipopótamos, uma curva de rio repleta destes animais gigantes e muito agressivos. Eles são os que mais matam pessoas na África. São muito territoriais e não gostam de nada nem ninguém entre eles e a sua piscina predileta. Neste local, é possível observá-los muito de perto sem correr nenhum risco. Mas é bom sempre ter cuidado.
Ficamos dois dias no Serengeti fazendo vários safáris e observando os animais de todas as maneiras possíveis. Saímos cansados, mas muito, muito felizes. Foi uma experiência diferente que recomendo para quem gosta da natureza.

Peter Goldschmidt – Família Goldschmidt
Peter é membro da Família Goldschmidt e diretor-consultor de turismo da agência Gold Trip. GoldTrip.com.br //  www.familiagold.com.br

* Fotos: Família Goldschmidt e André Pereira
** Este diário refere-se a viagem da  Família Goldschmidt  ao Quênia em Junho 2011.

 

[nggallery id=142]

 

______________________________________________________________________________________________________

Quênia e Tanzânia – Dicas de viagem 22 de Junho de 2011


Jambo! Olá!
Com este ultimo post, termino a minha viagem pelo Quênia e Tanzânia, estes dois fantásticos países da África Oriental. Fiquei muito bem impressionado com ambos, especialmente pela sua riqueza de vida selvagem e paisagens. Os países são simples, mas com uma excelente estrutura turística. Ótimo receptivo, ótimos hotéis, maravilhosos safáris. Viajei a convite da Kobo em parceria com a TGK, a quem agradeço por este privilegio.  Agradeço especialmente ao Tony pelo convite e ao André da TGK, ambos parceiros de viagem. Agradeço também o André por ter cedido muitas das fotos que usamos nos posts.

Os dois países são ótimos para se conhecer em qualquer época do ano. Chove mais em março, abril e novembro, mas são chuvas rápidas, geralmente no final da tarde ou à noite. Quando vier, faça todos os safáris possíveis e visite pelo menos uma aldeia Maasai.  Se puder, faça um passeio de balão em um dos parques nacionais. Em hipótese nenhuma deixe de conhecer o Lago Nakuru, a reserva de Maasai Mara, o parque de Amboseli e a cratera de Ngorongoro. Estes lugares são imperdíveis. Cada um por uma razão.  Se puder, visite também os parques de Serengeti,  Tarangile, Lago Manyara e de Nairóbi. Os países são seguros, mas recomendo sempre estar alerta. Não é um lugar ideal para viajar sozinho, tipo mochileiro. As distâncias são grandes e a infraestrutura nas estradas precária. Recomendo fazer alguns trechos internos de avião em voos que duram até uma hora. É uma boa economia de tempo e evita muitos trechos em terra. Mas venha preparado, o pó faz parte da paisagem.

O melhor mesmo é organizar sua viagem desde o Brasil incluindo todos os transportes, hotéis, safáris e refeições. Viaje sempre com quem já conhece bem o destino, pois desta maneira você aproveita melhor a viagem e evita contratempos.  Para saber mais detalhes sobre os dois países e ter dicas de viagens, entre no  site da Gold Trip – GoldTrip.com.br. Despeço-me aqui e publico hoje algumas fotos interessantes que fizemos durante esta viagem.
Kwaheri – Tchau!

Peter Goldschmidt – Família Goldschmidt
Peter é membro da Família Goldschmidt e diretor-consultor de turismo da agência Gold Trip. GoldTrip.com.br //  www.familiagold.com.br

* Fotos: Família Goldschmidt e André Pereira
** Este diário refere-se a viagem da  Família Goldschmidt  ao Quênia e Tanzânia em Junho 2011.

 

 

[nggallery id=143]